Projeto social oferece aulas de surfe para crianças e jovens em Curitiba

Atividade gratuita é realizada na comunidade do Icarai, no bairro Uberaba

Cidade sem mar, sem areia e, principalmente, sem ondas não é problema para essa garotada em Curitiba. Mesmo com a distância do principal elemento do surfe, é possível sim aprender o esporte aqui na cidade. A modalidade tem se tornado cada vez mais popular no Brasil, com tantos nomes no surfe brasileiro e agora como novo esporte no cronograma Olímpico para Tóquio 2020. O sonho de aprender a surfar se torna possível graças ao “Projeto Surf Comunidade”.

Aulas de surfe, em Curitiba

A iniciativa faz parte de um ministério da igreja evangélica Bola de Neve. O intuito é ensinar o surfe e evangelizar as crianças, e consequentemente as famílias, por meio do esporte. O projeto existe há cinco anos e alcança jovens e crianças da comunidade. Para ser aluno é necessário ser morador da região. Já para ser voluntário, é preciso estar na igreja por no mínimo seis meses e frequentar alguma célula da mesma. Segundo Josilaine Oliveira, uma das líderes do projeto, ele é uma forma de mostrar o amor de Deus para as crianças da comunidade. Além disso, também ajuda os alunos a se desenvolverem no estudo: “As crianças só podem participar se tiverem notas boas na escola”.

O “Surf Comunidade” se mantém por meio de doações, o espaço para as aulas é cedido pela prefeitura. A cada dois ou três meses, os responsáveis pelo projeto e os voluntários alugam uma van e levam as crianças até o litoral para treinar o que aprenderam. Nesse momento, também são organizados pequenos campeonatos internos, que incentivam a criançada.

Karollyn Teodoro, 14 anos, diz que se diverte no projeto: “Confesso que fico um pouco com preguiça por ter que acordar cedo, mas depois fica tudo certo. Aprendo algo novo e posso reforçar o que já sei”. A menina conheceu o projeto por meio da mãe do padrasto e está no “Surf Comunidade” desde o início. Ela conta que sempre quis aprender a surfar: “O surfe me faz muito bem. Quando estou surfando esqueço todos os meus problemas”.

Como o projeto faz parte de um ato evangelístico, a palavra de Deus não fica de fora nos encontros. Karollyn diz que, muitas vezes, na palavra ministrada está o que ela precisava ouvir. Josilaine acrescenta que por meio dos princípios mostrados pela palavra, as crianças se mostram mais disciplinadas. E que ensinar por meio do esporte é um ato de amor.


 

Beatriz Nennemann Santana é formada em jornalismo pelo Centro Universitário Autônomo do Brasil – UniBrasil. Escolheu a profissão pelo amor por esportes e pela escrita. Na faculdade também descobriu a paixão pelo audiovisual. Hoje sonha em trabalhar com jornalismo esportivo. Foi repórter do programa Uni Esporte, produzido pela TV Campus UniBrasil. Acredita que o esporte e o jornalismo são ferramentas de grande importância para o desenvolvimento da sociedade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *