Tênis

PRINCÍPIOS DO ESPORTE
O tênis é um dos esportes mais famosos já criado pelo homem. A prática desse esporte queima a gordura, desenvolve o músculo, melhora a saúde cardiovascular e exercita o cérebro. Para praticar é preciso que o esportista tenha coordenação física e motora, flexibilidade, equilíbrio, velocidade e concentração.

Após duas aparições como esporte de demonstração (México 1968 e Los Angeles 1984), o tênis retornou como esporte olímpico nos Jogos de Seul 1988, sendo disputado em todas suas edições desde então. Um jogo de tênis é divido em três ou cinco sets. Cada set possui seis games, para ganhar um set é preciso ter uma diferença de dois games de vantagem sobre o adversário.

HISTÓRIA DO TÊNIS
O jogo que teve origem na França nos séculos XII ou XIII, com o nome de “jeu depaume”. Em 1813, o major inglês Walter Clopton Wingfield inventou um jogo chamado Sphairistikè, a partir do qual se desenvolveria o tênis que hoje conhecemos. O jogo tornou-se popular na Grã-Bretanha. Por essa razão histórica, os ingleses dominaram as primeiras grandes competições e foram os principais responsáveis pela regulamentação técnica do jogo.

O tênis propagou-se rapidamente aos países do império britânico. Após a Primeira Guerra Mundial, os ingleses viram-se ultrapassados pelos franceses, americanos e australianos. No começo da prática do esporte, os atletas usavam as mãos para rebater a bola ao invés de raquetes. Com a evolução do esporte e da tecnologia, os atletas usavam raquetes que facilitavam a prática. A primeira federação é a International Tennis Federation (ITF), foi criada em 1 de março de 1913.

NA PRÁTICA
Cada atleta tem suas “armas” para surpreender e poder vencer seu adversário. O sistema de marcação de pontos do tênis subdivide o jogo em games e sets. Um game é constituído por um conjunto de pontos, sendo a contagem desses feita por 15, 30, 40 e game. Um set, por sua vez, é um agrupamento de games, sendo a contagem feita por 1, 2, 3, 4, 5 e set.

Quando há empate de 6×6, por sua vez, disputa-se um tie-break. Nesse desempate, ganha o set o jogador que conquistar sete pontos com vantagem de dois pontos sobre o adversário. A equipe vencedora é aquela que alcançar primeiro o número de sets pré-definido. Os principais equipamentos utilizados em uma partida de tênis são a raquete e a bola. O jogador pode ser advertido em caso de atitude antiesportiva. Alguns exemplos são:

  • Quebrar raquetes, pois é considerado abuso de material esportivo;
  • Demorar mais que 25 segundos para sacar após o término do ponto anterior;
  • Discutir com o árbitro principal e os juízes de linha;
  • Uso excessivo de palavrões e xingamentos;
  • Fazer barulhos propositais para distrair o adversário durante o ponto, como bater a raquete no chão repetidamente ou gritar durante a batida do oponente.

O acúmulo de duas advertências faz com que o jogador perca automaticamente o ponto a ser disputado. Três advertências levam a perda do game que está em andamento ou que está por iniciar. A quarta advertência causa ao jogador a perda direta da partida, independente do placar.

MODALIDADE OLÍMPICA
O tênis fez parte do programa dos Jogos Olímpicos na edição inaugural, em Atenas 1896, e perdurou até os Jogos de Paris 1924, quando foi removido a partir da edição de Amsterdã 1928. Após duas aparições como esporte de demonstração, México 1968 e Los Angeles 1984, o tênis retornou como esporte olímpico nos Jogos de Seul 1988, sendo disputado em todas suas edições desde então.

No mundo do tênis, a maior medalhista do mundo é a inglesa Kathleen McKane, que conquistou cinco medalhas nos Jogos Olímpicos de 1920 e 1924, sendo uma de ouro, duas de prata e duas de bronze. Nos Jogos Olímpicos de Antuérpia 1920, a tenista McKane conquistou logo três medalhas, um bronze no simples feminino, um ouro nas duplas femininas e uma medalha de prata nas duplas mistas, ao lado de Maxwell Woosnam, perdendo a final para os franceses Suzanne Lenglen e Max Decugis.

Na Rio 2016, no torneio de simples, Andy Murray derrotou Juan Martín del Potro (Argentina) e conquistou o ouro para a Grã-Bretanha pela segunda vez na sua carreira, enquanto Kei Nishikori levou o bronze para o Japão. Por duplas, a equipa espanhola ganhou a medalha de ouro ao derrotar a Romênia na final, enquanto os Estados Unidos alcançaram o bronze.

TÊNIS NO BRASIL
Com a vinda dos ingleses para o Brasil no fim do século XIX, para atuarem no processo de urbanização de São Paulo e Rio de Janeiro, eles não trouxeram apenas uma bola de futebol em suas bagagens. Junto, vieram algumas raquetes e bolinhas para as pessoas jogarem tênis, ou seja, o esporte desembarcou por aqui no mesmo período em que o futebol. É assim que foi escrito pelos técnicos e engenheiros das empresas Light e a São Paulo Railway.

Em 1892, o clube do São Paulo Athletic Club, fundado por ingleses, inaugurou as primeiras quadras de tênis brasileiras. Outros clubes do estado paulista também começaram a construir suas quadras, assim como clubes do Rio Grande do Sul No ano de 1904, foi realizado um torneio de interclubes com atletas do São Paulo, do Tennis Club de Santos e do Paulistano.

A Confederação Brasileira de Tênis foi fundada em 19 de novembro de 1955, no Rio de Janeiro. Os responsáveis foram os seguintes órgãos: Federação Paulista de Tênis, Federação Rio-Grandense de Tênis (atual Federação Gaúcha de Tênis), Federação Cearense de Tênis, Federação Catarinense de Tênis, Federação Pernambucana de Desportos Amadores, Federação Bahiana de Desportos Terrestres, Federação Paraense de Desportos, Federação Desportiva Espiritossantense, Federação Fluminense de Desporto, Federação Amapaense de Desporto e Federação Metropolitana de Tênis (atual Federação de Tênis do Estado do Rio de Janeiro).

Atletas brasileiros que participaram de uma olimpíada: Suzana Petersen (México 1968), Silvana Campos (Los Angeles 1984), Gisele Miró (Seul 1988), Andreia Vieira e Jaime Oncins (Barcelona 1992), Fernando Meligeni (Atlanta 1996), Gustavo Kuerten (Sydney 2000 e Atenas 2004), Thomas Bellucci (Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016), Rogério Dutra e Teliana Pereira (Rio 2016).